Se você ainda acha isso sobre Visual law, está na hora de mudar.

Se você ainda acredita que Legal design e Visual Law é apenas para contratos e ações, está na hora de mudar esta visão.

O Legal design pode ser utilizado em qualquer documento jurídico em empresas e escritórios e deve ser pensado de forma estratégica para facilitar o entendimento das informações e melhorar a produtividade dos departamentos relacionados.

Muitas vezes, quando fazemos um documento, acabamos esquecendo que quem está do outro lado não tem o mesmo conhecimento técnico que nós, e portanto, essa pessoa terá dificuldades para entender o conteúdo ali passado.

Essa dificuldade pode fazer com que este documento caia em desuso, e informações cruciais para a empresa, como procedimentos, regras, código de conduta, entre outras, podem não ser seguidas, gerando prejuízos para a empresa.

Em um projeto que trabalhamos com a Minerva Foods, por exemplo, a empresa encontrava um problema recorrente no departamento de compras, onde os funcionários não seguiam (e não sabiam nem  onde encontrar) a normativa de compras.

O documento que a empresa possuía não tinha uma linguagem amigável e os profissionais de compra não conseguiam seguir a normativa por realmente não entenderem qual era o procedimento correto. Com o tempo, este documento foi sendo esquecido pelos colaboradores que acabavam criando o seu  próprio procedimento.

Com tudo isso, nosso objetivo com o projeto era melhorar a comunicação da normativa de compras da Minerva Foods para garantir o entendimento pelos colaboradores e, consequentemente, aumentar o seu uso.

Durante a jornada, formamos um time com os diretores de compras e compliance e atravessamos todas as etapas do design thinking.

Entrevistamos os colaboradores de áreas que possuem mais contato com compras e ouvimos histórias sobre a dificuldade de encontrar o documento e de acompanhar os processos sem a ajuda dos responsáveis, já que a leitura era extensa e complexa.

Nesta etapa do processo, chamada empatia,  entendemos a jornada do usuário e seus pontos de dor. Esse entendimento nos possibilita atuar com mais propriedade,  já que temos certeza do problema que queremos resolver, isso faz com que a solução atenda realmente a dor do usuário.

Após chegarmos em um produto final, prototipamos uma normativa digital, no sistema digital da empresa. Essa normativa passou a ser muito fácil de achar, tinha textos claros e sucintos e funcionalidades que auxiliavam o usuário durante o seu uso, como FAQs, glossário e fluxogramas.

Porém, nenhuma solução está completa, sem antes realizarmos a etapa de teste. Por isso nós  validamos o protótipo junto aos colaboradores, analisamos o resultado e se preciso, realizamos novas mudanças no produto final.

 

No caso da Minerva, o  resultado dos testes foi extremamente positivo provando que a solução seria amplamente aceita na companhia, pois os usuários enxergaram a nova normativa como uma novidade positiva, sendo mais fácil de encontrar e tendo um acesso facilitado. Além disso, passou a ser possível encontrar todas as informações necessárias em um único ambiente e de forma mais objetiva. Um dos feedbacks que tivemos foi que a nova normativa “Evoluiu 500% do cenário atual” e “Muito top!!É muito simples, prática e objetiva, não é necessário ficar “quebrando a cabeça” para encontrar a informação.”

Viu?

É possível utilizar Visual Law e Legal Design para muito mais que apenas contratos e petições. Há uma gama de possibilidades, pois nos comunicamos de diversas formas com os nossos usuários. É importante estar sempre atento(a) para onde está ocorrendo falha de comunicação.

Se quiser saber mais sobre como podemos te ajudar a inovar no mercado jurídico e montar